?BARBIE?

Tenho certeza que muitos de vocês vieram aqui pelo link da minha comunidade no VK “Barbie.avi – Nova Investigação”. Foi onde tudo começou, onde toda a nova onda de popularidade da já esquecida creepypasta “Barbie.avi” se propagou. Além disso, é onde Barbie foi finalmente tirada do anonimato. Mas eu sei que há um certo número de pessoas que tropeçaram neste site e se perguntaram: “Quem é essa Barbie? Por que há um site inteiro dedicado a ela?” Se você é um deles – não se preocupe, abaixo você pode encontrar duas creepypastas sobre Barbie.avi. Elas começaram tudo.
“Mas por que fazer uma seção separada “Tamara Klein” se você vai descrevê-la aqui?” – você pergunta. A Barbie que estávamos procurando, e Tamara Klein, embora ela fosse a mesma pessoa, tinha traços diferentes, sinais, por assim dizer. Fizemos uma descrição da Barbie que estávamos procurando, sua biografia, compilada a partir de um monte de pequenas reservas difíceis de decifrar onde comparamos nossa Barbie com Tamara Klein.

Baseado em tudo o que pudemos ouvir na entrevista:

Primeiro

Na manhã de 17 de agosto de 1996, a delegacia da cidade de Savile, Yorkshire recebeu uma denúncia sobre o desaparecimento das gêmeas Megan e Barbara Noyt. Segundo seus parentes e amigos, as irmãs de 22 anos desapareceram de seu apartamento alugado.
De acordo com o porteiro do local, elas deixaram o apartamento no dia 11 de agosto às 11 horas da noite, aparentando estarem preocupadas com algo e não apareceram desde então.
A polícia entrevistou todos os que eram familiares com as irmãs Noyt, mas ninguém sabia nada sobre o possível paradeiro delas. A busca por áreas ao redor da cidade e a investigação de moradores locais também não deram resultados.

Foi cogitado que as garotas tivessem sido sequestradas, e a suspeita caiu sobre as várias comunidades muçulmanas da cidade de Savile. A polícia invadiu os centros muçulmanos de Dewsbury, mas não acharam nada relacionado com as meninas desaparecidas.
Uma semana depois, em 23 de agosto, uma das irmãs, Megan, foi encontrada inconsciente nos trilhos abandonados de Savile Oniste por um grupo de adolescentes. Ela foi levada ao hospital e, segundo os doutores, estava sob a forte influência de substâncias psicotrópicas. Graças aos esforços da equipe médica, ela voltou ao normal, e então, a polícia começou a interrogá-la.
Porém, o depoimento da vítima era confuso, incluindo referências aos trilhos de trem, a floresta ao redor e o hospital psiquiátrico onde ela e sua irmã foram alegadamente mantidas por todo esse tempo, sob a supervisão de uma certa pessoa, ao qual Megan chamou de “Ele”.
As declarações da garota causaram surpresa, pois na área florestal na fronteira de Sevile, havia há muito tempo atrás um hospital psiquiátrico, o Hospício Oniste, mas o local havia sido fechado em 1984 por utilizar tratamentos arcaicos, entre os quais a lobotomia.
Apesar da situação com o hospital abandonado parecer estranha, era evidente que as meninas haviam sido sequestradas.
Quando a polícia chegou ao local, foram feitas buscas pelo imóvel abandonado e a área ao redor, mas não foram encontradas pistas de pessoas ou de Barbara Noyt. O único achado foi em um porão quase alagado, uma fita VHS. A etiqueta parcialmente preservada tinha a palavra “Barbie”.
Megan Noyt, quando ficou sabendo da descoberta, confirmou que era assim que “Ele” chamava sua irmã.
A fita foi enviada a Dewsbury para restauração e digitalização, mas o funcionário envolvido foi encontrado enforcado em seu apartamento em 28 de agosto.
Os restos de um rolo queimado de fita cassete também foram encontrados lá, um monitor de computador foi encontrado esmagado no pátio de sua casa, junto com uma CPU, que preservou os resultados da digitalização da gravação.
O caso das irmãs Noyt continua indeterminado até hoje. Barbara Noyt foi declarada desaparecida, Megan Noyt ainda se recusa a falar sobre o acontecido e o conteúdo do vídeo “Barbie” permanece um mistério.


Segundo

Olá. Isto aconteceu comigo há alguns meses atrás, eu só precisava dividir com alguém…
Começou na festa de um amigo. Ele é um artista que alugou um
loft na parte industrial da cidade, se você puder imaginar um lugar como
Detroit em 1920, é como a área se parecia.
E nesse dia eu abusei na festa e decidi dormir por lá, em
algum sofá. Acordei as 4 da manhã e decidi ir embora, o sol ainda não havia
nascido e caminhar pela cidade naquele horário não era uma opção, eu decidi
então ligar para minha namorada e implorar uma carona, sendo ela uma ótima
namorada ela foi me buscar e disse que estaria lá em torno de 40 minutos e que
me ligaria assim que chegasse.Dez minutos depois de falar com ela acabou a
bateria do meu celular, então decidi me sentar á janela e esperar até ver o
carro, me sentei ali e meus olhos começaram a ficar pesados e eu comecei a pegar
no sono. Um barulho de algo quebrando lá fora me acordou, um barulho não mto
alto mas foi o suficiente para me acordar, eu olhei lá fora e procurei por algo
mas não vi ninguém, mas do outro lado da rua perto daquelas enormes latas de
lixo havia um computador e um monitor jogados no chão que não estava ali
antes…
Quando minha namorada chegou, eu desci me lembrei que um
amigo estava sem computador e decidi ir até a lixeira e ver o que poderia ser
salvo, o monitor não tinha muita utilidade mas eu decidi levar a cpu pra ver se
funcionaria. Uma semana se passou e minha namorada ligou dizendo que estava no
porta malas do seu carro então fui buscar e trouxe para casa aquela noite.
Antes de desmontar a cpu decidi ligar no monitor pra ver se estava funcionando
e para minha surpresa estava, tinha um windows xp e parecia ter sido formatado,
então decidi procurar por coisas como “porn, pussy, tits” pra ver se
encontrava algo que o antigo dono tivesse esquecido, mas não encontrei nada,
decidi então procurar por filmes, e um arquivo apareceu, era um .avi dentro de
uma pasta chamada “barbie” escondido no diretório WINDOWS/system32,
então eu dei play no vídeo.
Agora tudo começa a ficar extremamente perturbador.
O filme tinha mais ou menos uma hora de algo como um arquivo
de filmagem raw. A filmagem era de uma mulher sentada em uma cadeira
conversando, decidi assistir o vídeo pra ver do que se tratava, depois de 15
segundos de vídeo o áudio começa a ficar inaudível e a face dela começa a mudar
como se estivesse desconfortável por estar ali, mas ela continua falando, como
ela falava e parava, falava e parava, eu assumi que aquilo era como uma
entrevista e que ela estava respondendo perguntas…Ela então começa a chorar e
tentar continuar respondendo, e então ela começa a chorar tanto que mal
consegue olha para a câmera, e não consegue mais falar. Uma das palavras que
consegui ler em seus lábio foi a palavra “skin” (pele). Ela repete
essa palavra várias e várias vezes, ela parece não estar contente com sua pele.Nesse
ponto ela já não fala mais apenas chora e então tudo fica preto.
Tem muito mais que preciso tirar do meu peito e contar para
vocês, mas está ficando tarde e eu não consigo continuar, amanhã eu continuo
contando. Deus salve minha alma.

Não consegui dormir, devo continuar.

Eu importei o vídeo para o final cut, para tentar isolar o
áudio e ver se eu conseguia algo mais, isolei o áudio e tentei mexer nos
equalizadores, mas mesmo assim continuava impossível, eu tentei muito mas não
consegui nada, eu percebi que ela não se mexia ou levantava, assisti o video
muitas vezes essa noite procurando algo que pudesse me dar mais pistas, eu
estava muito insatisfeito, eu queria mais.

Foi quando notei que havia mais 10 minutos de filmagem.
Esses dois minuto estão muito tremidos e quase impossível de se assistir, o meu
palpite é que enquanto levavam a câmera para algum lugar ela foi esquecida
ligada porque só dava pra ver um par de pernas caminhando por um trilho de trem
por 6 minutos, então entrando em uma floresta. Foi quando meu coração disparou
porque eu lembrei que tem um trilho de trem algumas milhas daqui que parecia
muito similar com essa do filme. Eu TINHA que ir checar o lugar.

Em um sábado pela manhã, peguei minha lanterna, minha faca
ka-bar, e minha câmera e fui até os trilhos de trem, estacionei meu carro e fui
andando pelos trilhos até que entrei em uma floresta e continuei caminhando por
duas horas prestando atenção, e parando para ouvir sons ou algo do tipo.

Encontrei uma trilha de árvores e fui seguindo até avistar
uma clareira com uma casa que parecia estar sendo consumida pela vegetação
selvagem do lugar, demorou um tempo até eu tomar coragem e entrar na casa, eu
não queria que me vissem ou até mesmo caminhar em campo aberto, quando
finalmente tomei a decisão de entrar na casa…

A porta estava meio aberta e eu empurrei a porta com a minha
lanterna e me senti bem ao ver que o interior da casa estava muito bem
iluminado. Não havia móveis, o chão estava cheio de tijolos e algumas paredes
estavam com buracos enormes, nada de anormal, tirei algumas fotos. Até eu
perceber que havia uma porta que me pareceu ser do porão, diferente de todo o
resto da casa estava nova, e trancada. Além disso quando eu subi ao segundo
andar da casa encontrei algumas cadeiras e uma mesa meio coberta que parecia
novas demais para estar ali, eu vi claramente um saco de plástico molhado
dentro da banheira, como se alguém tivesse lavado aquilo.

Foi quando ouvi um gemido muito alto vindo do porão então
pulei pela janela do segundo andar e voltei pelo caminho de onde eu vim, quando
estava voltando eu percebi que o gemido na verdade era um barulho vindo dos
canos de água da casa, me senti mais tranquilo, foi quando esse pequeno momento
de alívio deu espaço ao terror que senti ao me perguntar porque a água estaria
ligada em uma casa abandonada no meio da maldita floresta…<

Faz um pouco mais de dois meses desde que isso aconteceu e eu não voltei lá e nem penso em voltar.

O nome verdadeiro da garota é Sharon, ela também tem alguns apelidos : Tammy e Becky (de Rebecca).
Ela provavelmente nasceu em Chicago ou nos subúrbios (foi escutado um sotaque rural) em janeiro – abril de 1969 (embora Mike Rounds tenha apontado que quando as fotos foram tiradas, no final de 1988, a garota tinha 22 anos). Antes da lesão, Sharon era uma garota comum, criada em uma família normal, aparentemente a única filha de seus pais.
A data da lesão é dezembro de 1975 ou dezembro de 1977. Um dia, a garota foi colocar roupas em uma máquina de lavar que começou a rodar antes da hora, deixando sua mão presa junto com o lençol.


Cirurgiões lutaram por sua vida por mais de quatro horas, tendo que amputar seu braço direito e remover o cotovelo.
Os pais apoiaram a pobre filha: o pai fez uma piscina no quintal de sua casa para que ela pudesse nadar, e compraram uma bolsa nova para Sharon.
Relacionamentos com colegas de classe antes e depois da lesão são desconhecidos, mas há referências ao fato de que uma amiga tornou a garota famosa em sua escola – não dizendo se em um sentido positivo ou negativo.
Em 1988, Sharon de alguma forma soube da revista “Ampix” e da possibilidade de se tornar uma modelo deficiente, depois disso, foi tirada uma fotografia que já conhecíamos.
Posso supor que as fotos (pelo menos algumas delas) não foram tiradas pelo fotógrafo do estúdio, mas por conta própria – você pode notar ao olhar algumas fotos.


A propósito, Sharon era casada.
Em abril de 1989, Barbie deu a primeira entrevista, na qual fala sobre sua vida. Infelizmente, devido à má qualidade do som (suspeito que por causa da câmera com microfone embutido) a maior parte do ela diz é impossível de entender.
Um pouco mais tarde, parece que, ainda em 1989, uma entrevista foi gravada com Susan Abbott ( que morreu no final dos anos 1990 – início de 2000). A qualidade da imagem foi duas vezes pior em relação à primeira entrevista, a qualidade do som também é horrível.
O destino da Barbie depois de 1989 é desconhecido.
Um dos que sabiam ou ouviram falar da Barbie estava ligado ao estado de Michigan, mas não se diz por quê – se nasceu lá ou viveu lá depois.

Traduzido por Charlotte King